Cães que mordem o próprio dono

Publicado por Maria Leite0

Há poucos dias fui mordida pelo meu cachorro, um vira-lata de quase três anos, sobrevivente único de uma ninhada de sete que foi criado com muito mimo. Apesar de ser um cachorro estabanado, ciumento e agitado, nunca foi agressivo.

Cheguei a ficar magoada por ter sido mordida pelo meu animal de estimação e até tentei arranjar algumas desculpas para justificar a mordida. Não vi que ele escondia algo na sua casinha e achei que ele me confundiu e sentiu-se ameaçado quando fui lhe fazer um carinho. Simples assim. (só que não).

Minha curiosidade em descobrir porque um cachorro tratado com tanto carinho, de repente, resolve morder quem cuida dele, me revelou dados importantes.

Em minhas pesquisas, descobri que na verdade somos nós, os donos, que inadvertidamente deixamos que nossos cães tomem a liderança. Ao serem contrariados, ou importunados, eles reagem da forma que sabem, ou seja, mordendo quem não se submete às suas vontades, mesmo que essa pessoa seja seu dono.

Descobri também que não são apenas os cachorros grandes ou de raças consideradas agressivas que são perigosos. Isso é um mito.

Todas as raças e tamanhos de cães podem morder quando provocados, até mesmo os pequenos chihuahuas. Não porque são maus, mas porque essa é a forma deles dizerem que estão com medo ou descontentes com alguma situação.

A solução está em reestruturar a relação de liderança invertendo a posição do líder. Precisamos aprender a mandar e o cão a obedecer.  

Existem sinais a serem interpretados, pois os cães usam uma linguagem própria para se comunicar. Quando não sabemos interpretar esses sinais, nos colocamos em perigo.

As principais razões para um cachorro atacar são: proteger a sua comida, defender seu território, defender seus filhotes, ter pouco contato com pessoas e outros animais (falta de socialização), ou quando estão com dor e são tocados em sua ferida ou parte dolorida.

A socialização é muito importante. Tem melhor resultado se quando ainda filhote seu cão for apresentado a vários estímulos como sons, cheiros, pessoas e animais de diferentes idades e temperamentos. Dessa forma, quando ele crescer, irá se sentir mais confiante, seguro e amigável.

Como evitar mordidas

– Não incomode ou assuste um cão, principalmente se ele estiver comendo ou quando estiver com seus filhotes e/ou seus brinquedos.

– Cuidado especial deve ser tomado se ele estiver atrás de grades, defendendo sua casa, dentro de carros, dormindo ou doente.

– Fique longe de um cão que pareça estar com medo (ele geralmente estará com o rabo entre as pernas tentando fugir ou se esconder), ou se estiver bravo (nesse caso ele pode mostrar os dentes).

– Se um cão desconhecido, sem coleira ou demonstrando agressividade se aproximar, fique quieto. Se estiver em pé, fique imóvel, como uma árvore. Se estiver deitado ou se cair no chão, enrole-se em posição fetal, protegendo o rosto e o abdômen, e fique absolutamente imóvel. Não olhe nos olhos dele e não grite. Dessa forma o cão vai perder o interesse em você.

– Antes de tocar um cão, peça permissão ao seu dono. Crianças devem ser supervisionadas perto de cães desconhecidos. Oriente-as a se aproximar em silêncio e com cuidado, deixando o cão cheirar as suas mãos primeiro. Só depois poderão acariciá-los gentilmente.

– Nunca segure o cachorro pela cauda. Esta é uma área muito sensível e o animal pode ter uma reação agressiva.

– Se um cão chegar a morder, a ferida deverá ser lavada imediatamente e procurar o centro de saúde mais próximo.

O poder para evitar acidentes com os cães está em suas mãos. Seja um tutor responsável e aprenda a interpretar o que o seu cão quer lhe dizer. Você terá em retorno companheirismo e muito amor.

Junte-se a nós! Deixe seu email e receba novidades animais!
Placeholder Placeholder

Tags , , ,

Comente |

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

(required)
(required)

A- A A+

Options

Layout type:

liquidfixed

Layout color: